Ataque da Hypsypyla grandella (broca da ponteira) no Mogno Brasileiro!

É gente, não teve jeito. Ela apareceu. E fez estragos. Nossos Mognos Brasileiros sofreram ataque da Hypsypyla grandella (broca da ponteira)! Os Cedros Australianos e Guanandi nada sofreram.

Bom, para mostrar como isso aconteceu, tirei algumas fotos e fiz 2 videos. Percebam como a broca ataca. Os ovos são depositados entre a parte nova da planta (parte verde clara que se desenvolveu depois das primeiras chuvas em novembro) e uma galha, ou seja, bem na junção. Nas fotos vocês perceberão isso.

Espécie bem desenvolvida - Mogno Brasileiro

Uma vez que o ovo eclode, a lagarta começa a descer dentro da ponteira que é macia (já que acabou de crescer devido as primeiras chuvas que a planta recebeu), comendo o miolo da mesma. As galhinhas superiores dessa nova parte da planta começam a murchar após o ataque e uma tipo de serragem (mas creio que seja o escremento da lagarta que comeu e eliminou) fica a mostra. Veja nas fotos.

Ataque de broca no Mogno Brasileiro

Para eliminar o problema, cortamos com canivete até onde a broca atacou. Fizemos isso em todas as plantas atacadas. Não sei se isso é o mais certo, mas alguma coisa precisava ser feita para eliminá-las das plantas. Numa mesma planta pode haver várias lagartas. As plantas atacadas, na grande maioria, tinham mais de 2 metros. Creio que não afetará a continuidade do desenvolvimento das mesmas. Iremos monitorar isso e assim que perceber alteração do desenvolvimento delas, coloco fotos aqui para analisarmos juntos. Um detalhe que percebi é que a broca não chega até a parte “antiga” do caule (abaixo na parte nova, que de desenvolveu após as últimas chuvas). A broca parece gostar de consumir a parte macia, novinha.

Ápice destruído pela broca

Iremos providenciar a compra do colacid para sanar o problema. Ainda não encomendei o produto.

Desde já gostaria de pedir desculpas por erros técnicos no que eu disse nos videos. Muita gente aí é da área, me corrijam, por favor. Não quis editar o video e colocar um texto mais técnico (sugestão dos meus irmãos), porque estou numa correria só. Acho que o erro horrível que cometi aí no video foi falar toda hora LARGATA. Acho que estava emocionado em falar em público.

: )




Acesse os vídeos (e cliquem nas propagandas do Google nos videos, se quiserem ajudar o BLOG!!! Não custa nada!):

1- http://www.youtube.com/watch?v=q66nHuf07Fg
2- http://www.youtube.com/watch?v=Zefg5mgpUbc

Vocês perceberam que nossas plantas estão no meio de braquiária. As plantas estão coroadas e faremos uma limpeza maior o quanto antes. Estamos pensando em soltar bezerros para consumir o capim também, não decidimos ainda. Creio que temos que ficar espertos, pois podem comer as folhas do Mogno Brasileiro.

Broca do mogno brasileiro

Bom é isso… Fiquem atentos ao ataque. Previnam-se com o colacid. Por favor, os técnicos que souberem de outras formas de eliminar o problema, nos avisem aí! Como nosso plantio é de apenas 1 he fica fácil dar manutenção, mas imaginem plantios enormes!!!! Inviável!

Abraço e ótimo 2011 a todos!

43 thoughts on “Ataque da Hypsypyla grandella (broca da ponteira) no Mogno Brasileiro!

  1. Guilherme, em primeiro lugar: PARABÉNS por esse blog fantástico, que tenho acompanhado há cerca de 1 ano.
    Estou procurando uma terra adequada ao plantio de mogno e acho que encontrei uma aqui no triângulo mineiro. Estou em dúvida quanto à qualidade do solo / exigência do mogno quanto a pH, composição (argila, areia,etc…. Tem alguuma informação a esse respeito?
    Se não for incômodo,gostaria de conhecer sua plantação. Poderia me enviar seu e-mail para combinarmos?….

  2. Cara, parabéns pelo seu blog. Comecei a acompanhá-lo não faz muito tempo, e fiquei muito feliz por ter visto reportagem nova. Mas fico triste por ser uma notícia tão ruim. Eu plantei Mogno Africano (Khaya Senegalensis) justamente por medo dessa broca. Estou sofrendo com falta de chuva em pleno fevereiro. Ainda bem que tem o outro motivo que me fez escolher essa espécie. Aguenta bem a seca. Meu irmão e minha namorada são agrônomos, vou ver se eles conseguem te ajudar nesses seus problemas. Forte abraço.

  3. Olá!
    Muito bom o blog! Parabéns!
    Plantei 1 ha de mogno brasileiro há 2 anos e 1 mês na zona da mata de Minas. Na época fizemos correção do solo e aplicamos inseticidas na “copa” das mudas. Algumas morreram e foram repostas. Passados 2 anos, estou pensando se está na hora de fazer uma nova aplicação de inseticidas, principalmente por causa da broca. Você tem alguma sugestão a esse respeito? Existe algum outro tipo de controle a ser feito, não só contra a broca da ponteira, mas qualquer outra ameaça?
    Obrigado,
    Fernando Brina

  4. Guilherme, descobri várias larvas (tipo minhoquinhas) nas sementes apodrecidas, que originaram a muda, dentro dos saquinhos das mudas de mogno. Poderiam ser larvas da broca do mogno?

  5. Guilherme, gostaria de saber se a broca atacou somente as plantas mais novas, as do segundo plantio, ou se atacou também as do primeiro. E quanto a esta broca você sabe dizer se ela ataca somente nos primeiros anos de vida da planta ou se pode ocorrer tambem nas plantas adultas?
    Obrigado.
    Pedro Henrique

  6. Pessoal, segue alguns tratos culturais que pode diminuir significativamente o ataque das brocas:
    -pulveridar as plantas 1 vez por mes, com Decis ou qualquer outro peretroide de sua preferencia.
    -enterrar proximo a rais da planta um punhado de Furadan (tem que tomar muito cuidado ao utilizar esse produto, pois pode levar a morte). Eu tenho uma plantação de 12 anos, foi a unica forma que consegui amenizar o ataque das brocas.

    • Bom dia Jose Renato,

      E depois de atacada,vc corta a planta ou so corta o broto atacado??Ja ouvir dizer as duas coisas,,uns afirman que uma vez atacada a arvore qdo estiver no ponto de corte apresentara “Nos” e nao tera vom valor comercial.O que pensa sobre?

      Obrigado
      Juarez

  7. Estou começando a produzir minhas mudas. Aproveitei o carnaval pra chegar a 1.400 saquinhos semeados. Como não vi consenso sobre a forma ideal, fiz alguns testes: plantio com e sem casca; semente com a asa para baixo e para cima. A maioria foi plantada com a casca e com a parte da asa para baixo. Tem informações a respeito disso? Se usa sementeira e repicagem, deve ter observado de onde inicia a brotação em regra…
    Por ora vou monitorar o desenvolvimento. Mas como pretendo plantar umas 10.000 mudas em espaçamento de 6×6, ainda falta muita coisa…
    Sobre o controle químico da broca, vi uma monografia recente (http://www.fca.unesp.br/pos_graduacao/Teses/PDFs/Arq0565.pdf). Boa sorte. Abraço.

  8. Perfeito, tenho um plantio de cem pés de mogno, com dois anos de idade todos deram a broca, mesmo assim ela continua crescendo, atacam a parte nova, a parte velha está engrossando. Não tenho feito nada.

  9. Olá pessoal,
    Tenho uma plantação com 5.500 mognos e 1000 cedros australianos (havia cerca de 400 cedros brasileros).Respondendo a algumas perguntas:
    – Fizemos nós mesmos as mudas e plantamos com espaçamento 3X3m (1110 mudas / ha);
    – Fizemos IRRIGAÇÃO em todas, o que dá muito trabalho (-+ 7ha).
    – Vamos PLANTAR mais 6000 mudas este ano, porém de CEDRO AUSTRALIANO, que não dá broca e cresce quase igual Eucalipto.
    – Ao todo perdemos cerca de 1500 mudas com BROCA e morte de mudas novas.
    – TODOS os cedros brasileiros foram atacados pela broca ( após 1 ano do plantio)e arranquei todos;
    – As mudas de MOGNO pequenas , geralmente não são atacadas. As brocas atacam as mudas GRANDES, mais de um ano).. por elas estarem mais bonitas!! Que azar.. é duro vc cortar uma planta bonita…Perdemos cerca de 150 mudas de mogno.
    – CREIO que não adianta cortar os brotos atacados e deixar as mudas continuarem a crescer, pois o novo broto não cresce reto e, portanto, o TRONCO não dará uma madeira comercialmente boa.
    – Até cerca de um ano após o PLANTIO, não havia nenhum ataque aos MOGNOS. Aí foi quando relazamos e não dedetizamos.
    – A partir do aparecimento da broca, estamos buscando pulverizar a cada 15 ou 20 DIAS, neste periodo chuvoso. Usamos DELTAPHOS e . Também usamos FURADAN nas raízes, mas parece que não deu resultado.
    VAMOS COMPARTILHAR as experiências, e assim chegaremos lá.
    Abraços a todos

  10. Uma técnica que poderia ser utilizada para o combate dessa praga em âmbito nacional é a chamada “Sterile insect technique” em que seria possível total erradicação da espécie, como já ocorreu em outras situações em que uma “praga” comprometia uma atividade ecônomica altamente lucrativa… Nesse caso seria necessário que os agricultores interessados formassem associações para a busca de um interesse em comum.
    Essas informações estão disponíveis neste link:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Sterile_insect_technique

  11. Andre Silva, particularmente não acho certo que uma espécie seja totalmente eliminada da natureza.

    Não tenho autonomia para dizer isso, mas creio que retirar um elemento da cadeia alimentar da natureza não seja prudente.

    Não sei a importância da broca no cadeia de uma região, mas prefiro nem tentar saber o que seria retirá-la do mapa.

    Acho que temos que arranjar técnicas que eliminam aquelas que atacam nosso plantio: e só.

    Isso não é comercial, mas consigo perfeitamente discernir o que a grandeza da natureza perto da nossa vontade de plantar para lucrar (por mais isso preserve diretamente também a natureza).

    Existem outras formas de eliminar os insetos que atacam e outras tantas podem ser descobertas.

    O que acha?

    Abraço!

  12. Pedro Henrique,

    ela principalmente as mais antigas (que tinha por volta de 3 anos!).

    Vc precisa ver! Tinha exemplar lá de mais de 4 metros e foram atacadas. Fica inclusive difícil retirar as brocas lá de cima, pois é muito alto.

    O ataque foi do primeiro plantio! Essas imagens e videos aí são todas do primeiro plantio.

    É duro ver a cena!

    Abraço!

  13. Olá Guilherme, eu achei esse site que pode explicar como funciona a “armadilha luminosa” (http://www.biocontrole.com.br/?area=armadilhas&id=8), penso que vai depender da área a ser protegida podendo ser desvantajoso. Já com relação ao extermínio da Hypsypyla grandella é possível conforme já relatado, sendo que essa técnica já está sendo utilizada no combate à dengue… você também mencionou no possível (evidente) impacto na cadeia alimentar, é claro que terá algum efeito, mas penso que pesticidas causam mais danos a natureza e são amplamente utilizados. Portanto, terá que ser balanceado quais os prós e contras da aplicação da bem sucedida Sterile insect technique nesse caso. Abraços.

  14. Caros amigos,

    Tenho uma plantação de 100 hectares de mogno brasileiro no norte de Minas Gerais.
    Nas épocas chuvosas são mais comuns o ataque da broca do ponteiro do mogno (Hypsipyla
    grandella). O que constatamos até o momento é que a larva da mariposa ataca apenas as regiões da planta onde o tecido é mais novo e menos rígido aquela região verde clara, mais conhecida como fluxo vegetativo . Quando há o ataque da broca é comum a morte do tecido mais novo da planta. costumamos fazer um corte da região afetada, mas é importante lembrar que o corte deve ser apenas na região afetada (parte preta), pois depois o tecido se regenerará.
    Temos árvores de 4 anos com 8 metros de altura que ainda sofrem com o ataque da broca.
    Uma maneira ecologicamente correta e economicamente viável que vem sendo usada é o consórcio do Nim indiano (Azadirachta indica) com o mogno brasileiro.Curiosamente essas duas árvores são da mesma família(Meliaceae).Ainda não experimentamos, porém temos grande interrese em fazer o teste, alguém sabe algo a respeito desse consórcio?
    Alguns colegas citaram que quando a planta é afetada pela broca ela cresce torta e a madeira perde o seu valor. O que constatei é que depois de um certo tempo a árvore vai se recuperando e se tornando mais uniforme, após o ataque da broca realmente a planta cresce torta e dá a impressão que não voltará a possuir um caule uniforme.
    O Furadan serve para o cambate aos netatódeos do solo, que podem danificar as raízes. É importante ressaltar que ele é altamente tóxico,ao ser humano, animais e plantas,além de contaminar o lençol freático, causando também um estresse na planta. O Furadan não é muito eficaz no combate à broca, nem deve ser usado mensalmente. Usamos o Furadan anualmente apenas.

    Espero ter ajudado

  15. Bacana, Bruno!

    Ótimo relato o seu! Como disse aí no post e nos videos, constatei algumas coisas exatamente como disse aí no seu texto.

    No seu plantio muitas mudas morreram?

    Manda uma foto sua aí desse plantio de 100 He. Esse deve ser bruto de grande!

    Depois quero fazer um post só com plantios da turma que conversa aqui no blog. Vamos mostrar que estamos aprendendo e evoluindo!

    Abraço e continue conosco!

  16. boa tarde pessoal

    pretendo fazer o plantio de 100ha de MOGNO

    e para evitar o problema da broca do mogno, estou analisando em fazer o plantio de MOGNO AFRICANO. Porem estou na duvida do plantio do KAYA IVORENSE ou o KAYA SENEGALENSE.

    Em alguns sites mostram que o K. IVORENSE ‘e atacado por um fungo ainda nao estudado e recomendam o plantio do K. SENEGALENSE. entao estou na duvida!!! Pois quem comercializa o K. SENEGALENSE fala mal do IVORENSE e vice versa

    Alguma sugestao

    me mandei um e-mail

    thomaznresende@hotmail.com

    grande abraco e sucessos para todos

  17. ola pessoal, estou querendo plantar mogno no vale do paraiba, em terras onduladas, gostaria que alguem me informasse se nao tem problema com o desenvolvimento da planta nesta regiao.
    obrigado.

  18. Fiz um plantil de 400 arvores de mogno africano numa area morrada e com irrigação pois se encontra no ES e não chove o suficiente aqui, está com quase 6 meses!
    Tem site que falam que o africano é resistente a broca e outros não, tem alguma opinião sobre isso, mesmo assim estou controlando bem outras pragas como formiga e lagartas com tiametoxa é um neonicotinoide de nome comercial Actara, a formula é bem parecida com o Decis acredito muito nesse produto e se tiver problemas com algum fungo o Adante ou o Verdadeiro são dois protutos que até 2-3 anos funcionam bem, o custo é meio alto porem não tem mais dor de cabeça! aplico no meristema apical e no chão em intervalos de 3 meses no inicio depois almenta a dose e intervalos de 6 meses!

  19. tenho uma lavoura de mogno de 4 hectares
    ja tenho arvores de 3 metros, uso furadam para combater a broca de seis em seis meses dou um combate
    da uma olhada no meu album no orkuthttp://www.orkut.com.br/Main#UniversalSearch

  20. Ola Eduardo Ton, moro no ES em Iúna, e venho estudando algum tempo o plantio do mogno, tanto o brasileiro quanto o africano, gostaria de estabelecer contato, para uma possível visitação de sua plantação, meu e-mail é lucianoveiga@ymail.com, fico no aguardo de seu contato.

  21. Olá!
    Tem alguma informação se o mogno brasileiro e o Cedro australiano é comercialmente viável para plantio no Vale do Paraíba SP, próx. a Serra do Mar, Região de Cunha? região alta, montanhosa.
    grato,
    Salviano

  22. Esse final de semana, fui surpreendido positivamente, ao chegar ao reflorestamento de mogno, encontrei uma arvore com um fruto. Fiqui animado, logo logo terei sementes para comercializar.

  23. Parabens pelo Blog.
    Plantei duas mudas de mogno (Swietenia macrophylla)
    em Guaramiranga-CE, região serrana de Baturité, há 120km de Fortaleza. Ambas foram produzidas em parceria com um de meus irmãos, João de Deus, e foram plantadas em meio às ingazeiras e camuzés, sem uso de qualquer produto químico. A mais desenvolvida está com uma altura aproximada de 6 metros e a menor com cerca de 3 metros. Diferentemente do mogno do Guilherme, os nossos não tiveram, até o momento, nenhum problema fitossanitário. Pode ser que no local não exista a Hypsypyla grandella, o que acho mais provável. Talvez por serem apenas dois indivíduos e terem sido plantadas na mata. Quiçá por todos essas condicionantes. Só sei que estão lindas. Qualquer novidade, mando notícias. Deus abençoe a todos.

  24. Olá! Sou Leo Morais da cidade de Valença-BA (região litoranea) e gostaria de saber se alguem tem mudas de mogno brasileiro para venda. Necessito o mais breve possível. Porém o mais em conta tambem!!! rsrs Nesta terça feira eu termino o preparo de 6 hectares de terra para o plantio de mogno consociado com laranja em 6mx4m, alternando o mogno e a laranja de 2 e 2m na linha do 4m. E nas entrelinha do 6m irei plantar mandioca mas deixando um bom espassamento para as linha do mogno com a laranja. Então são 416 pés de mogno e 416 de laranja por hectare Sendo que as laranjas já estão num projeto com a Ceplac. E pretendo, quando puder e o dinheiro der rsrs, irrigar a laganja e o mogno para fazer fertiirrigação. E, ressaltando,estou procurando mudas com o valor mais em conta… pois o real tá dificil rsrsrs Pois não trabalho, ainda faço faculdad. Ou seja, sou sustentado pelo meu pai aos 27 anos… chato né!?! E à muito custo, juntei uma graninha vendendo umas 200 galinhas de caipiras e 2 hectares de aipim que cultivei na fazenda de meu pai (Tudo bancado por ele, desde os pintos, ração, mao d obra pra capina e adubo, tudo…)
    As mudas mais baratas que achei por perto (em Montes Claros- Mg, 792km e Barreiras-Ba, 795km) custavam R$3,00 e preciso de 2496 mudas para os 6 ha q a 3 reais dão 7488,00 reais mais o frete de 795km e pra mim não da… Já em Contagem-Mg as mudas tão de R$1,50 (um real e cinquenta cents) metade do outro preço! mas são 1174km de frete… Meu pai tem uma F-350 mas acaba sendo alem do meu alcance fazer essa viagem pra trazer umas 500 a 600 mudas por viagem… Então conto com a ajuda de voces pra q eu possa conseguir viabilizar e realizar o meu projeto e me tornar tb um Plantador de Mogno Brasileiro!!! Meu pai tem uma fazenda com 90 hectares agricultaveis e pretendemos plantar toda em mogno africano senegalense que é a espécie q ele quer… Bom tambem… E caso não consigamos as mudas, iremos produzí-las. Sei q é custoso e trabalhoso, mas O q mais conta é a determinação, planejamento e a atitude! E estou disposto e determinado à seguir em frente!!! Mas pra isso sempre precisamos de suporte e conhecimento… Caso alguem possa me ajudar, estou deixando o n° do meu celular pra deixar mensagem que eu retorno, pois passo o dia na fazenda das 8;00h as 21h, as vezes mais, tocando o projeto pra frente e la nao pega celular. rsrs. O n° é (75) 81796626 da Claro, e (71) 9277 9870 da Tim. Uma mensagem é baratinho, menos q 1 Real rsrsrs Muito Obrigado e Espero atenciosamente!!

  25. leo tenho mudas de mogno africano como cm de tamanho aqui em barreiras podemos negociar liga pra mim .enta em contato comigo moro no bairro morada da lua.

  26. Boa noite pessoal,estou em busca de solução para eliminar o atack dessa tal de H. grandella ( lagarta ) pois ela ja deu inicio nas 2000 plantas de Mogno brasileiro consorciada com o Mogno africano.
    Na minha região não se encontra o COLACID, estou pensando de usar o ACTARA que é um Neonicotinoide usando em mistura de calda o Nin Indiano ( Azadirachta indica ) um inseticida natural.
    Sealguém souber de algo melhor estou no aguardo, pois preciso correr contra o tempo.

    Abraços!!
    Frank Carvalho.

    Ourilandia do Norte – PA.

  27. Bom Dia, Guilherme

    Queria saber se você conseguiu combater as largatas na plantação de mogno? Espero que sim.
    Eu tenho uma plantação de mogno brasileiro, e essas largatas começaram a atacar.
    O que posso fazer para combate – las?

    Se puder me responder no meu e-mail fico grata.

    Fico no aguarde!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *