Plantio de Cedro Australiano realizado no final de 2011 – Coroamento das mudas após 1 ano

Como eu havia citato no artigo de julho/2012, realizamos outro plantio de Cedro Australiano.

O terreno escolhido, próximo a casa onde ficamos quando vamos à fazenda, tem uma camada inicial de pedras e terra… encascalhado mesmo! Nosso objetivo foi verificar se o Cedro Australiano era capaz de sobreviver nesse terreno mais “hostil”, dando assim viabilidade a esse tipo de área que até então estava mal aproveitada na fazenda.

Já sabíamos que terrenos desse tipo, pelo menos na região onde estamos (próximo a Sete Lagoas-MG), estavam sendo vastamente utilizados com sucesso em plantios de Eucaliptos… , mas queríamos mesmo era ver o resultado com Cedro Australiano.

E o resultado que temos até o momento é bom. Plantamos em torno de 600 mudas em 1 hectare (bem acidentado) e hoje contabilizamos uma perda inicial de 30 a 40% do total plantado.Resultando ruim? Acredito que não, pois não estamos irrigando essa área, como fizemos no nosso primeiro plantio de Mogno Brasileiro, Cedro Australiano e Guanandi. A falta de água em abundância impacta demais na velocidade de crescimento das mudinhas. Prova disso é que elas estão realmente pequenas ainda, mesmo já se passando 1 ano de plantio.

Para melhorar as condições das mudas restantes, realizamos no final de novembro/2012 um coroamento total no plantio. E eu e Gustavo é que iniciamos as atividades para desbravar o mato que sobrepunha as mudas, eu função do tempo que demoramos para fazer essa atividade. As mudas estavam muito cobertas pelo mato e não havia como aplicar Herbicida sem antes deixá-las completamente a mostra (caso contrário a pessoa que vai aplicar o remédio não consegue indentificá-la!). Resultado: mãos cheias de bolhas e toda arrebentadas de tanto capinar (mãozinha de gente da cidade é assim mesmo….. não aguenta nada)… Mas vontade não falta e gostamos bastante dessas atividades.

Alguns de vocês podem pensar:… que pessoal despreparado… Por que não vem coroando esse plantio e mantendo as mudas coroadas desde o início?“. Resposta rápida: optamos em deixar as plantas dessa área protegerem as mudas durante o período de seca. E podemos afimar: deu certo! Como esse plantio não está sendo irrigado, fica complicado deixar as mudas todas expostas ao sol durante o período do ano sem chuva. E o mais interessante: durante a noite e madrugada, o orvalho cai sobre as plantas e, no cerrado, é possível inclusive ver o terreno bem molhado, mesmo em tempos de seca. Moral da história: sempre que abríamos o mato em volta das mudas para vê-las de manhãzinha, era possível notar ótima umidade no terreno. Com certeza isso foi fator fundamental para manter as mudas restantes vivas! (Claro, em contrapartida elas não desenvolveram tanto…).

O que vamos fazer agora é tirar esse abafamento do mato em volta das mudas, já que estamos em época de chuvas. Elas precisam de sol para desenvolverem. Iremos jogar adubo para completar a “Operação Crescimento”.

Depois que capinamos ao redor das mudas e deixamos todas a mostra, foi feita em seguida a aplicação do Herbicida na quantidade de 1 ml do produto por litro d´água. O produto é tóxico e requer equipamento de proteção para aplicá-lo como luvas, máscara e bota. Evitar o contato do produto com a pele também!

Nessa foto abaixo é possível ver como fica uma sequência de mudas após a aplicação do Herbicida. Essa imagem abaixo não é do nosso plantio, mas ilustra perfeitamente como está a situação. É impressionante como o mato seca todo no local aplicado! Se tiverem interessados em saber como os Herbicidas atuam, sugiro essa leitura.

Utilização de herbicida para o coroamento de mudas

Bom, com sempre costumo informar em nossos artigos: essas foram ações que tomamos em função de observações e conhecimentos que meus irmãos tem a respeito de plantio e plantas. Sintam-se a vontade para discordar e dar opinião a respeito. Será um prazer aprender com vocês.

Já tive notícias que nosso funcionário já aplicou inclusive o adubo. Quero postar fotos no final de janeiro/2013 para mostrar a situação da evolução das mudas.

É isso aí, companheiros. Desde já gostaria de desejar um feliz natal e ano novo a todos! Sucesso com seus projetos e que possamos continuar ajudando sempre o nosso planeta, ganhando dinheiro ao mesmo tempo (Por que não?).

Deixe seu comentário, clicando aqui.

Abraço a todos e continuem conosco!
Guilherme

14 thoughts on “Plantio de Cedro Australiano realizado no final de 2011 – Coroamento das mudas após 1 ano

  1. Caro Guilherme, sou um pequeno silvicultor de mogno (khaya ivorensis)
    faz um mes e meio que plantei as minhas mudas e ja coroei para primeira adubação.
    Bom.. como li seu blog vc só coroou com um ano , talvez uma uma boa estratégia para conter
    umidade num período seco, mas a concorrencia com o mato foi total. na minha propriedade
    coloquei vegetação morta em volta da planta e esta dando certo e molhando duas vzs por semana.
    um abraço.
    Edivar.

  2. Valdeir, por volta do mes de julho e agosto eu terei sementes fresquinhas para vender. Tenho varias arvores carregadas de castanhas de sementes. Se tiver interesse me mande email.

  3. Olá, boa noite. Tenho pesquisado o uso de herbicidas seletivos para o Mogno sem muito sucesso. Qual herbicida voces utilizaram ?

  4. Olá Guilherme. Quando eu plantei, eu joguei herbicida (Round Up) em toda a área, e fiz a coroação com capina, na enxada. Não deixei nenhuma vegetação morta por perto e o meu resultado também foi muito bom.

  5. Boa noite amigos,
    belo trabalho e um otimo investimento de tempo e energia no espaço de vc`s. Acho que o assombreamento dá certo e protege. Quanto ao crescimento não subestimem as plantas. O crescimento de raízes (procurando água), no bioma cerrado, e bem maior que o crescimento da parte aérea. Algumas plantas chegando a uma proporção de 6/1 a 8/1, é o caso do pequi. Uma arvore bem jovem de pequi com 50 cm, chega a ter, ACREDITEM, 3 METROS de raízes. Continuem
    Força e paz na alma
    Paulo

  6. Estou Fazendo um hectare como área experimento, espero poder plantar mais, gostaria de receber informação enfim o que diz de direito nas suas experiências, grato Carlos

  7. BOM DIA , TEMOS UMA PEQUENA PROPRIEDADE E GOSTARIA DE TROCAR UMA IDEIA SOBRE A VIABILIDADE DE SE CULTIVAR O MOGNO AFRICANO OU GUANANDI. GOSTARIA DE SABER ONDE VOCES CONSEGUIRAM AS MUDAS E SE VOCES TEM PARCEIROS PARA A COMPRA.

    DESDE JA AGRADEÇO,

    CRISTIANO FERREIRA

  8. Engenheiro Florestal, com experiência de mais de 45 milhões de árvores plantadas de eucalipto – procuro parceiro para implantar empresa florestal para o fim de plantio de mogno e comercialização da participação nos resultados.
    “Qualquer plantio florestal cujo crescimento seja inferior a 5/6 metros de altura aos 12 meses de idade, estará fadado ao insucesso”!
    Gostaria de saber a altura média atual de seus plantios e idade.
    Milton

  9. Eu sou da cidade de Mateus Leme que fica dentro da Grande BH, antes da cidade de Itaúna, cerca de uma hora de Sete Lagoas.
    Eu tenho plantadas em minha fazenda cerca de 20.000 pés de Cedro Indiano e 8.000 pés de Mogno Brasileiro.
    Gostaria muito de visitar sua plantação em Sete Lagoas e, desde já, os convido para vir na minha plantação, para trocarmos informações e virarmos companheiros.
    O Mogno plantei em 2.008 e o Cedro em 2.011.

  10. Ultimamente ando obcecada por colher sementes de arvores, plantá-las em garrafinhas de água e observar todos os dias pra ver se estão germinando. gostaria de obter sementes ou mudas de angelin do Mato Grosso, pau rosa, mogno e tantas outras árvores maravilhosas que estão desaparecendo de nossas florestas.
    Temos um pequeno sitio no RS e não vejo a hora de ir para lá.
    Parabéns a vocês por amarem tanto a natureza.
    Lina

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *