70% das mudas plantadas e sistema de irrigação funcionando!

Esse final de semana, extendido do feriado de 21 de abril, foi produtivo também assim como o final de semana passado. Conseguimos plantar a maioria das mudas e a irrigação está funcionando perfeitamente.

 


Tivemos problemas com o tamanho das adutoras secundárias (canos menores que passam pelas mudas) que estavam extremamente difíceis de encaixar nos bicos de saída da adutora principal. Mas esquentando a ponta das mangueiras com água quente, a ponta relaxa e fica fácil de conectar. As adutoras secundárias são maleáveis e fica um pouco difícil pressionar contra o bico, pois acaba dobrando.

Mas esse problema foi resolvido com um pouco de paciência e jeito.

Abaixo está um desenho definitivo de como ficou a distribuição das mudas e do sistema de irrigação. Mais abaixo, estão algumas fotos reais de como está o plantio.

Clique na imagem para ampliar.

Abaixo, a primeira coluna de mogno brasileiro plantada do projeto.

Reparem que o plantio é feito com um espaçamento de 4 metros entre as mudas de uma coluna e cada muda tem sua área de crescimento individual, uma vez que o alinhamento é feito igual de 2 em 2 colunas. Para manter isso, basta plantar a primeira muda de uma coluna próxima ao bico da adutora principal e, na próxima coluna, deem um espaço de 2 metros desse bico. Cortamos um pedaço de bambú reto de 4 metros para auxiliar essas medidas na hora do plantio (melhor que ficar levando trena no bolso), veja foto abaixo da dupla que faz os buracos e auxilia no plantio:

Nós três irmãos (Gustavo, Guilherme e Gabriel), participamos diretamente de todas as fases do projeto. Abaixo, detalhe de nós três, plantando no sol forte. As mudas foram bem molhadas no dia anterior, para aguentar o sol escaldante que estava no dia do plantio. Ligamos o sistema de irrigação só ao final do dia, quando finalizamos os furos dos gotejadores e os inserimos.

Os gotejadores são inseridos depois que os furos são feitos nas adutoras secundárias. Existe um furador especial (esqueci de tirar foto dele!) que, por pressão, faz a entrada certinha para o gotejador. Abaixo, um gotejador inserido na adutora secundária.

Após a finalização do plantio de boa parte das mudas, foi possível ver o sistema de irrigação em perfeito funcionamento. Tudo que foi plantado no dia recebeu gotejo. Todo dia que tiver plantio, as mudas plantadas precisam ser irrigadas ao final do dia com o sistema. Isso acontecerá até acabar o plantio de tudo.

É necessário fixar os gotejadores ao pé das mudas, para que sejam irrigadas com eficiência. Eu logo imaginei esse gotejo como mamadeira na boca de criança (todo dia, como diria meu pai, elas vão toma “dedeira” de manhã e a noite pra ficarem fortinhas). Abaixo, muda de mogno brasileiro tomando “dedeira”.

Uma coisa muito interessante nessa sistema de irrigação é a possibilidade, próximo a bomba do tanque, da inserção de um componente de sucção de adubo líquido. Próxima a saída da água na bomba, existe uma entrada (registro) onde pode-se acoplar esse componente. Assim, um adubo pode ser mandado pra todas as mudas, por gotejamento, sem haver necessidade do trabalho de campo para isso! Legal demais, não é?

Um dos grandes problemas do gotejamento é a manutenção de entupimentos. Se tiverem oportunidades de ver um gotejador, perceberão que a cavidade de saída dos pingos é extremamente pequena. Logo, concluímos que a água do tanque precisa estar sempre limpa, desde sua captação nas carneiras (nosso caso) até passar pela bomba. ISSO É FUNDAMENTAL!

Abaixo segue um exemplo do fechamento de uma adutora secundária no seu final. A foto ficou boa e permite que vejam um “8” (objeto de plástico preto) que ajuda nesse fechamento da adutora na estaca de bambú.

Bem… esses foram os detalhes do nosso final de semana de trabalho árduo. Tivemos ajuda de mais 3 pessoas: Dinho, Negão e Wado. Sem eles, não conseguiríamos nunca agilizar nosso trabalho. No final do dia a gente tomou uma cerveja, claro. (tava muito calor e ninguém é de ferro).

Qualquer dúvida que tenham, por favor, fiquem a vontade para perguntar. Assim que fecharmos todo o plantio, tiro mais fotos.

Abraço a todos!

30 thoughts on “70% das mudas plantadas e sistema de irrigação funcionando!

  1. Olá amigos,
    Gostaria de parabeniza-los pela ideia, pelo modelo de gestão e pela documentação.
    Tenho um projeto parecido com o de vcs. Numa propriedade da família com area degradada e sub utilizada, vou plantar guanandi. 2000 mudas esse ano. Tenho umas 2500 já prontas.
    Gostaria de saber como foi feita e como vem sendo tratada a documentação com órgão ambientais daí!

    Parabéns!

  2. Olá, Carlos.

    Poxa, ótima idéia também plantar no terreno que tem. Devemos plantar uma quantidade maior no ano que vem ou 2011, mas vamos analisar primeiro os resultados dessa forma de plantio que fizemos para ver erros e acertos.

    Por coincidência, enviei um email há uma semana atras para Secretaria de Estado de Meio-Ambiente e Desenv. Sustentável – SEMAD.

    Obtive a seguinte resposta abaixo:

    “Prezado,

    Mensagem recebida pelo site Semad.
    Obrigado por entrar em contato com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.
    Por favor, entre em contato com a unidade do IEF mais próxima de sua propriedade. Para descobrir qual é essa unidade, no site do IEF (www.ief.mg.gov.br), no menu à esquerda, clique em ‘Regionais’ e, depois, em ‘Saiba onde ser atendido’.

    Atenciosamente,

    Maria Cristina Matos
    Assessoria de Comunicação
    Sistema Estadual de Meio Ambiente
    (31) 3219.5209”

    É preciso correr atrás do IEF e, se não engano, declarar que está efetuando esse plantio e em área que nao seja de preservação nem mata ciliar(http://pt.wikipedia.org/wiki/Mata_ciliar).

    Estamos pensando também em fazer um documento lavrado em cartório assegurando a quantidade de mudas plantadas, espécies e que estão em área aferida por um engenheiro florestal.

    Caso descubra algo também a respeito nos avise!! Vamos nos ajudar aí nesse sentido também, porque é fundamental ter certeza que no final vai dar certo legalmente.

    Abraço e obrigado pelos elogios. Continue conosco!

  3. Olá…
    Também sou bacharel em Ciência e meu pai é Tecnico Agrícola! Minha plantação também será em MG. Municipio de Santa Vitória. fiquei sabendo que o IBAMA em Uberlândia poderá me orientar sobre as informações qnto a documentação.

    Meu plano é plantar 2000 mudas por ano, até fazer um módulo legal. Então, gostaria de saber como funciona o esquema dos tubetes… Vou implementar um viveiro também!

    Abraços!

  4. Olá pessoal,

    Existe um licenciamento para silvivultura sim. Em Minas é necessário preeencher um FCEI – Foremulário Integrado de Caracterização do Empreendimento, que pode ser encontrado no site da SEMAD e intrega-lo na SUPRAM. Conforme DN74 que estabece critérios para licenciamentos, silvicultura com até 50 ha não é passível de licenciamento. No caso do Guilherme, ele utiliza irrigação, então tem que ver o volume médio para colocar no formulário.

    A declaração de não passivel de licenciamento e o FOB são liberados em 15 dias e custam aproximadamente 20 reais.

    OK!

    Qualquer dúvida estou as ordens.

  5. Olá pessoal,

    muito legal o trabalho que vocês vem fazendo, desde a produção das mudas até o plantio e acompanhamento.

    Gostaria de sugerir-lhe que para evitar o entupimento dos “furos” do gotejador vc pode acomplar um filtro (de anéis ou tela), de forma que a água passe por ele antes de ir para as adutoras secundárias.

    Cuidava de um viveiro com irrigação feita por micro-aspersores que sempre entupiam. O filtro ajudou bem.

    Outra sugestão é manter uma camada de matéria orgânica sobre o solo, em espécial ao redor da muda, para manter a umidade e favorecer o biota do solo.

    PArabéns

  6. Ótimas dicas, Marcello.

    Existe já um filtro na ponta, ao puxar a água do reservatório, mas já inclusive comentei com Gabriel meu irmão: acho que ele é bem espaçado, deixando passar muita coisa pra dentro dos canos. Tem que ser um com malha mais fina, digamos.

    Quanto a dica da matéria orgânica, valeu. Vamos seguir essa orientação!

    Muito obrigado e continue conosco!

  7. Oi Guilherme, plantei em minha fazenda mogno brasileiro com cedro australiano e cedro indiano. O indiano esta crescendo bem mais rapido. Tenho interesse em implantar um sistema de irrigacao, vc conhece algum fornecedor em BH? Como faco para agendar uma visita a sua fazenda?

  8. Olá, Marcelo.

    Legal que tenha plantado. Os componentes para a irrigação foram adquiridos em Lavras-MG, mas com certeza é possível achar isso em BH mesmo. Casa do Fazendeiro (orçamos lá) estava mais caro que em Lavras.

    Podemos agendar sim depois de ir lá. Onde você tem fazenda?

    Abraço e continue conosco.

  9. Olá Guilherme ..

    Em primeiro lugar gostaria de parabenisa-los (você e seus irmão) por tomarem uma iniciativa
    voltada para as agrarias, vejo que na atualidade em que nos encontramos, nossas mentes vao se modificando, falo isso pelofato da sua area de atuaçao, mas nao so por voce mas tambem por outros que vem tendo a visao de que lucaremos muito com o empreendimento rural…
    Voces tem um grande projeto começando pelo sistema de irrigaçao. me preocupo pelo o que voces vao passar pelos proximos 2 anos, que e o principal problema do Mogno a lagarta da Hypilla Gramdela abroca … que e um dos “patogenos” que devasta plantaçoes inteiras …
    Por fim e com satisfaçao que aqui no Distrito Federal tambem pretendo muito em breve garantir meu fututo com essa maravilha ainda inesploravel ..
    tambem plantarei o Mogno Brasileiro
    se por interesse teu tenho dicas de manejo ..
    abraços …

    atenciosamente
    Eng°Agrônomo Icaro Ribeiro

  10. Obrigado, Ícaro. Valeu mesmo.

    É bom saber que essa causa é bem vista e está cheio de gente indo na mesma onda. Por mais que pareça estranho, acho que quanto mais gente tiver e mais nos unirmos nisso, mais a natureza irá se beneficiar e mais poderemos ter forças políticas para reivindicar leis atrativas para quem é legalizado. Madeira de qualidade será bem quista sempre, mesmo havendo grandes reservas. O importante é ser legal.

    Obrigado também pela dica. Iremos monitorar nosso plantio e se aparecer algum problema reportamos aqui no Blog Mogno Brasileiro.

    Boa sorte no seu plantio. Se Deus quiser vai dar tudo certo!

    Quanto as dicas de manejo, se tivermos alguma pendência ou problema aqui, não exitaremos em ter você como opção de solução, ok? Entraremos sim em contato contigo.

    Abraço e continue conosco aqui, lendo nossos artigos.

  11. opa guilherme blz..

    mas aqui no DF irei encontrar um problema ..
    aqui nao temos muito o apoio do IEF..
    mas tenho esperanças que no IBRAM eu possa
    conceguir um apoio nos tramites legais ..
    e por incrivel q pareça ou nao tao incrivel assim , o maior problema e na legalizaçao
    rsrsrrs…
    e é algo que tem de ser feito pq depois
    como vc ira vender uma madeira sem nota ..
    mas estoucorrendo atraz, e creio que tudo
    dara certo …
    abraços

  12. Olá pessoal. Tenho 3 ha de mogno brasileiro e cedro australiano irrigados com gotejamento que foram plantados há 3 meses. Moro em Barreiras, no Oeste da Bahia.
    Tudo está indo muito bem a não ser o ataque devastador de cochonilhas que ocorreu apenas no cedro. Algumas plantas morreram e tive que replantar, mas agora ja efetuei o controle químico e parece que teve sucesso, pelo menos por enquanto. Estou monitorando a plantação bem de perto agora e tomando cuidado pra ver se essas pragas vão voltar.
    Estou deixando esse recado pra compartilhar com vocês o perigo que as cochonilhas podem causar no cedro e se der mole elas arrasam com tudo.
    Vlw galera.

    • Prezado Ciro.
      Temos um plantio de cedro australiano e mogno africano e estou impressionado com o ataque de uma praga que pode ser a cochonilha. Tudo muito rápido.
      Gostaria de lhe enviar umas fotos para confirmar, se possível.
      Vc pode me passar seu e-mail?
      Grato
      Vinicius Ferreira

  13. Oi Guilherme, nossa fazenda e em Catas Altas, entre Santa Barbara e Mariana. Nas linhas impares plantamos mogno brasileiro alternado com Cedro Australiano a cada 3m, nas linhas pares plantamos so cedro indiano tambem a cada 3m, e entre linhas de 4 metros. Fizemos aproximadamente 1,5 hectares. Numa mais baixa plantamos 200 guanandis. Moro em BH, se vc tambem quiser conhecer nossa fazenda estamos a disposicao.

  14. Guillherme,

    Observei que as mangueiras adutoras são flexiveis e o tipo de gotejador que você usa se adapta bem à ela. Estou iniciando um plantio de Guanandi em Lagoa da Prata MG e utilizo a fita gotejadora com gotejo de 2 em 2 metros e muitos não estão no pe da planta, prejudicando o resultado. Onde poderia adquirir os gotejadores mostrados nas fotos e gostaria de saber também se eles podem ser utilizados na fita gotejadora ?

    Grato
    Marco Aurélio

  15. Esse material foi comprado em Lavras-MG, pelo Gabriel, meu irmão, que é engenheiro agrônomo responsável pelo projeto.

    Mas creio que não deva ser tão difícil encontrar por aqui, na nossa região.

    Se não me engano, na Casa do Fazendeiro, em Belo Horizonte mesmo, eu acho que orçamento esse produto, mas o preço não foi dos melhores.
    http://www.casadofazendeiro.com.br

    A vantagem que observamos do cano para a fita gotejadora é que a possibilidade de proporcionar um furo é um pouco maior nela, aumentando assim o esforço na manutenção como um todo. Mas por certo ela também cumpre o papel e é utilizada por outras pessoas.

    Abraço e sucesso!
    Continue conosco aqui no Blog!

  16. Ola tudo bem?
    Em 2010 vamos inciar o plantio de 15 hectares de mogno brasileiro, realamente existe uma praga que ataca o seu broto?
    Como funciona a poda?
    Obrigado
    Rodrigo

  17. boa tarde amigo parabens lindo progeto
    vices fiseram anlise de solo
    e cotrole minha terra e arenoza queria mais
    informaçao um abraço e obrigado

  18. boa tarde guilherma e família,eu quero parabenizar pelo belo trabalho,eu tenho uma fazenda em pernambuco na zona da mata (mata atlántica)e pretendo plantar 2000 mudas de mogno brasileira no período das chuvas sem irrigar.como estar seus mognos sem irrigação,você tem informações do comercio de toras de mogno no brasil em área plantada,obrigado rinaldo lucena

  19. Pessoal, gostaria de saber se um plantio de mogno é obrigatorio a irrigaçao, caso eu plante no incio das chuvas as mudas vao ter condiçoes de passar toda a seca? e se nao tiver irrigaçao, o mogno demora muito mais tempo para cortar?
    Obrigado

  20. tenho um terreno 15.000 metros e no ano passado plantei 200 mudas do mogno brasileiro. Como faço para legalizar a plantação? Qual adubo vocês utilizam ai? algum adubo quimico especifico tipo para corrigir o solo?

    desde de já agradeço…

  21. Boa tarde Guilherme.
    Acompanho seus comentários a bastante tempo, e a tempos tenho essa idéia de reflorestamento, mas não tinha oportunidade. Começei em 2009 com a compra e plantação e eucaliptos em um terreno que adquiri em São Domingos do Prata a 140 km de BH, que tem uma forte influência da Cenibra, Agora comprei outro terreno anexo ao outro, e nesse sim, vou desenvolver o cultivo de madeira de lei, realizando meu ideal. Acompanhei todos os comentários de seu blog, da plantação até ao aparecimento da broca (com vídeo e tudo) e sinseramente quero parabeniza-los por tanta dedicação e principalmente pela disseminação das informações sobre tudo. Agora também irei compartilhar com todos, utilizando seu blog, o desenvolvimento de minha plantação.
    Parabéns!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *